top of page

Cela ultrapassa R$ 50 bi em projetos de renovável viabilizados no País

Foram mais de 10 GW em projetos assessorados, incluindo captação de recursos, fusão e aquisição e project finance, PPAs e planos de negócios e de investimentos.


Imagem: Divulgação


A consultoria Cela - Clean Energy Latin America acaba de completar uma década de consultoria estratégica, modelagem e assessoria financeira para empreendimentos de geração renovável, tendo ultrapassado a marca de R$ 50 bilhões em projetos de energia limpa viabilizados no País.


Ao todo foram mais de 10 GW em projetos na década, incluindo captação de recursos, fusão e aquisição (M&A) e project finance, além dos PPA (power purchase agreements), dos planos de negócios e de investimentos.


A empresa prestou consultoria financeira de apoio a uma centena de empresas estrangeiras e brasileiras para o posicionamento em energias renováveis no Brasil, incluindo elaboração de planos de investimento, planos de negócios, assessoria na viabilização de PPAs de longo prazo no mercado regulado, mercado livre e geração distribuída, além da captação de recursos via equity e via dívida.


Os negócios da Cela com empreendimentos de geração renovável têm 70% de projetos ou empresas de geração centralizada e 30% de geração distribuída.


“A Cela tem crescido na faixa de 25% ao ano, mas, em 2022, praticamente dobrou o volume de negócios. Para este ano, a meta é dobrar o faturamento”, disse em comunicado à imprensa Camila Ramos, CEO da Cela.


Segundo ela, a empresa não foca apenas em energias renováveis mas “em tudo o que é relacionado à transição energética e novas tecnologias limpas, como o hidrogênio verde (H2V) e o armazenamento de energia”.


A consultoria acaba de anunciar a criação de um conselho consultivo para acelerar o crescimento no segmento de energias renováveis e alavancar novos projetos com H2V no território brasileiro, a partir da atração de capital estrangeiro e nacional.


O conselho é formado por profissionais com longa experiência no setor elétrico, especialmente em fontes renováveis, como solar e eólica.


Fonte: Fotovolt

Comments


bottom of page